Olhando Para o Céu

26/02/11

Imagem do Dia: Paisagem desértica


Esta paisagem poderia ser uma região árida no nosso planeta, mas na realidade, é uma paisagem marciana, obtida com a câmara panorâmica do rover norte-americano Spirit. A imagem, que é aproximadamente em cor verdadeira, mostra uma formação rochosa baptizada de “Longhorn”, e atrás desta as planícies da cratera Gusev, e no horizonte a borda da cratera.
A imagem é na realidade um mosaico de 4 fotografias distintas, obtidas através de filtros de 750, 530 e 430 nanómetros, no dia 5 de Agosto, o 210º dia (marciano) de actividade do rover em Marte.

Fonte:Portal do Astronomo

Os planetas em Fevereiro de 2011

Mercúrio. No início do mês, o planeta será visível no céu matutino, antes do nascer do Sol, na constelação do Capricórnio (magnitude: -0,9). Em 25 de fevereiro, alcançará em conjunção superior com o Sol, quando estará muito próximo do Sol, sendo praticamente impossível observá-lo.

Vênus. O planeta Vênus será visível no céu matutino, na constelação de Sagitário (magnitude: -4,2).

Marte. Em 04 de março, Marte estará em conjunção com o Sol, na constelação do Capricórnio (magnitude: + 1,1), em virtude da proximidade ao Sol será praticamente difícil observá-lo.

Júpiter. Planeta visível no céu vespertino, depois do pôr do Sol, na constelação de Peixes (magnitude: -2,1).

Saturno. Planeta visível no céu matutino na constelação da Virgem (magnitude: +0,6), a caminho da sua oposição ao Sol no dia 3 de abril.

Urano. Visível no céu vespertino na constelação dos Peixes (magnitude: +5,9). Sua conjunção superior vai ocorrer no dia 21 de março e a sua oposição em 26 de setembro.

Netuno. Em virtude da sua conjunção superior no dia 17 de fevereiro, o planeta está muito próximo do Sol e, portanto, praticamente invisível na constelação do Aquário (magnitude: +8,0).

Plutão. Visível no céu matutino, na constelação do Sagitário (magnitude: +14,1).

23/02/10

"Ingredientes da vida" são encontrados em lua de Saturno

A sonda Cassini enviou mais dados que reforçam as suspeitas de que a lua Encélado, de Saturno, abriga um mar subterrâneo sob seu solo gelado - e um mar mais "rico" do que se imaginava.

As primeiras evidências de um mar na lua de Saturno foram publicadas em Junho do ano passadomas ainda restaram controvérsias, porque os resultados não foram confirmados por observações feitas com satélites terrestres.

Íons de água

Na última passagem pela Encélado, a sonda detectou moléculas de água com carga negativa na atmosfera do satélite.

Com estes dados, Encélado vem se juntar à Terra, a outra lua de Saturno, Titã, e aos cometas, como os corpos celestes do Sistema Solar que possuem íons com cargas negativas. E não apenas íons de água, mas também de hidrocarbonetos, o que dá novo entusiasmo aos astrobiólogos que procuram por vida fora da Terra.

Os íons negativos de oxigênio foram descobertos na ionosfera da Terra no início da era espacial. Já os íons negativos de água são encontrados na Terra onde quer que haja água em movimento, como em cachoeiras ou nas arrebentações das ondas do mar.

Com isto, os cientistas estão agora muito mais seguros de que Encélado deve conter água em estado líquido. Devido à baixa temperatura da superfície da lua, essa água deve existir na forma de oceanos abaixo da camada perene de gelo que recobre sua superfície.

Não há ondas em Encélado, mas o satélite possui uma região de grande atividade perto do seu polo sul, onde vapor de água e partículas de gelo espirram por rachaduras na superfície e são projetados para o céu a grandes altitudes.

As novas medições, feitas com o espectrômetro CAPS (Cassini Plasma Spectrometer), foram feitas quando a sonda mergulhou na névoa que cerca Encélado em um voo rasante em 2008.

Possibilidades de vida

A Cassini já detectou sódio na névoa que emerge de seus jatos, um indício dos sais dissolvidos que podem ser resultado do encontro de uma massa de água em forma líquida com as rochas abaixo desse possível oceano.

Esta observação anterior havia sido feita com um outro instrumento da sonda espacial, o CDA (Cosmic Dust Analyzer.

"Embora não seja uma surpresa que exista água lá, esses íons de vida curta representam uma evidência extra da água sob a superfície", disse Andrew Coates, da Universidade College London. "E onde há água, carbono e energia, estão presentes alguns dos ingredientes mais importantes para que haja vida," acrescentou.

Hidrocarbonetos


O instrumento CAPS encontrou não apenas íons de água carregados negativamente mas também indícios de hidrocarbonetos carregados negativamente.

Esses íons negativos de hidrocarbonetos são gigantescos, com massas até 13.800 vezes maiores do que a massa de uma molécula de hidrogênio.

Anteriormente, já foram identificados hidrocarbonetos carregados positivamente em Encélado pelo espectrômetro INMS (Ion and Neutral Mass Spectrometer).

Fonte:Inovação Téconológica.

Apesar do mau tempo, Endeavour aterrissa na Flórida.



A tripulação da nave Endeavour conseguiu aterrissar nesta segunda no Centro Espacial Kennedy, na Flórida, apesar do mau tempo que chegou a ameaçar o desvio da aterrissagem para a base aérea de Edwards, na Califórnia.

A nave, que desenvolveu uma missão de 14 dias na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), para onde viajou carregada com um novo módulo, pôde aterrissar no centro Kennedy após a Nasa (agência espacial americana) constatar que a situação meteorológica, que ameaça com chuvas e céu encoberto na Flórida, era mais estável do que estava previsto.

A aterrissagem aconteceu às 22h20, na hora local (0h20 de segunda-feira de Brasília), como estava previsto. Nesta missão viajaram o comandante da nave George Zamka, de origem colombiana, acompanhado pelo piloto Terry Virts, e os especialistas Nicholas Patrick, Robert Behnken, Stephen Robinson e Kathryn Hire.

A missão que a Endeavour acaba de concluir serviu para levar e instalar na ISS um novo módulo, o Tranquility, de construção europeia e dotado de um pequeno luxo, um mirante panorâmico com uma vista privilegiada da Terra e do Espaço.

O Tranquility acrescentou ao complexo orbital um volume de 800 metros cúbicos e nove dormitórios, além da cúpula de seis janelas dos lados e uma em seu extremo superior. A Estação Espacial Internacional, que orbita a Terra a quase 400 quilômetros de altura, fica assim 90% completa depois da instalação do módulo.


Fonte:Site Terra

02/10/08

Nasa comemora 50 anos de atividades espaciais

A Nasa, a agência espacial americana, completa nesta quarta-feira 50 anos de atividades. Sua criação aconteceu durante a Guerra Fria e tinha o objetivo de ajudar os Estados Unidos a enfrentar o poderio espacial da União Soviética. Em 1º de outubro de 1958, sua fundação foi uma resposta direta ao lançamento do Sputnik, primeiro satélite artificial soviético, em 4 outubro de 1957.
Se o Sputnik foi o bip-bip-bip que o mundo inteiro ouviu, o som que caracterizou o lançamento do satélite Explorer 1 foi o suspiro coletivo de alívio do público americano, na madrugada de 31 de outubro de 1958. Neste momento, o país havia respondido com sucesso ao desafio soviético, dando início à corrida espacial.

O acontecimento desatou em uma grande competição entre as superpotências para ver quem tinha mais superioridade tecnológica, que poderia acarretar também em uma soberania do sistema político do vencedor. "A corrida para a Lua era mais do que a exploração espacial ou um ato de orgulho nacional, pois era vista como um verdadeiro teste à validade da nossa democracia e do próprio conceito de liberdade", lembra Michael Griffin, diretor da Nasa.

Desde que a missão Apolo 11 chegou à Lua, em 20 de julho de 1969 (21 de julho em horário GMT), com o astronauta americano Neil Armstrong sendo o primeiro homem a pisar na superfície do satélite da Terra, os EUA chegaram ao topo da corrida espacial.

De lá para cá, não houve concorrentes ao poderio americano. Porém, o surgimento de potências emergentes, como a China, fez com que a luz de alerta se acendesse nos EUA. Ironicamente, a Nasa comemora meio século de trabalho no momento em que a China obtém o feito de ter o primeiro astronauta do país a realizar uma caminhada espacial, no último sábado.

Se juntando à Rússia e aos EUA no seleto grupo de países com alta tecnologia exploratória espacial, a China quer ainda mais. E preparam-se para lançar sua primeira missão tripulada à Lua em 2012, além de levar seus astronautas ao satélite em 2017, antes do retorno previsto dos americanos.

Com a possibilidade de uma nova competição espacial acirrada, agora os americanos querem preservar a sua supremacia para fazer frente às novas ambições de um competidor em crescimento. A previsão inicial da Nasa era de retornar à Lua com astronautas em 2020. No entanto, o prazo poderia ser antecipado. Cientistas ligados à estatal acreditam que uma aterrissagem dos chineses antes do retorno dos EUA poderá ser considerado um retrocesso frente ao mundo, ou até mesmo, uma derrota.

Conheça algumas datas importantes da conquista espacial:

- 1926: O cientista americano Robert Goddard lança o primeiro foguete de combustível líquido com capacidade de chegar ao espaço.

- 4 de outubro de 1957: a União Soviética lança o Sputnik 1, primeiro satélite artificial.

- 3 de novembro de 1957: a União Soviética coloca em órbita a cadela Laika, primeiro ser vivo a ser mandado para o espaço, a bordo da Sputnik 2, que não estava preparada para voltar à Terra. Laika morre na incineração da nave ao reentrar na atmosfera.

- 31 de janeiro de 1958: os Estados Unidos lançam seu primeiro satélite, o Explorer 1.

- 1º de outubro de 1958: criada a Nasa, agência espacial americana.

- 2 de janeiro de 1959: o satélite soviético Luna 1 sai do campo de atração terrestre rumo à Lua.

- 7 de outubro de 1959: o satélite soviético Luna 3 transmite as primeiras imagens já vistas pela humanidade da face oculta da Lua.

- 12 de abril de 1961: o soviético Yuri Gagarin, a bordo da nave Vostok 1, se torna o primeiro ser humano a entrar em órbita, durante um vôo de 1 hora e 48 minutos, no qual dá uma volta ao redor da Terra.

- 5 de maio de 1961. Alan Shepard é o primeiro americano no espaço, depois de um vôo suborbital de 15 minutos.

- 27 de agosto de 1962: os Estados Unidos lançam a primeira sonda espacial para Vênus. Em novembro, a União Soviética lança sua primeira nave robô rumo a Marte.

- 16 de junho de 1963: a soviética Valentina Terechkova torna-se a primeira mulher no espaço.

- 18 de março de 1965: o soviético Alexis Leonov se torna o primeiro homem a sair da nave e fazer uma caminhada espacial.

- 15 de dezembro de 1965: primeiro acoplamento no espaço entre duas naves americanas Gemini. Os Estados Unidos começam a superar a União Soviética.

- 27 de janeiro de 1967: um incêndio durante um teste de lançamento da Apolo 1 causa a morte de seus três astronautas: Virgil Grissom, Roger Chaffee e Ed White. O incêndio ocorre durante teste em terra, realizado em Cabo Canaveral.

- 23 de abril de 1967: queda da Soyuz-1; o soviético Vladimir Komarov é o primeiro cosmonauta a morrer voltando do espaço.

- 20 de julho de 1969 (21 de julho em horário GMT): o módulo Águia da missão Apolo 11 pousa na Lua, com os americanos Neil Armstrong e Edwin Aldrin; Michael Collins permanece na órbita lunar no comando da nave principal. Armstrong é o primeiro homem a pisar na Lua. "Um pequeno passo para o homem, um enorme passo para a humanidade" são suas primeiras palavras.

- 11-15 de abril de 1970: a Apolo 13 não consegue chegar à Lua por causa de incidentes técnicos. A nave volta à Terra com seus três tripulantes sãos e salvos após quatro dias de angústia.

- 19 de abril de 1971: lançamento da Saliut 1, a primeira estação orbital soviética.

- 29 de junho de 1971: os três ocupantes da Soyuz-11 - Georgui Dobrovolsky, Vladimir Volkov e Viktor Patsaiev - morrem devido à queda de pressão de seu módulo de aterrissagem.

- 14 de dezembro de 1972: o módulo lunar Challenger decola da superfície lunar na última missão tripulada no satélite da Terra.

- 5 de abril de 1973: a Nasa lança a sonda Pioneer 10, a primeira que atravessará o cinturão de asteróides e observará os planetas externos. Trinta anos depois suas transmissões são captadas ao dobro da distância de Plutão, fora do sistema solar e a caminho da constelação de Orion.

- 14 de maio de 1973: é posta em órbita a estação orbital americana Skylab.

- 31 de maio de 1975: criada a Agência Espacial Européia (ESA).

- julho de 1975: uma nave americana Apolo e outra russa Soyuz se encontram no espaço.

- 24 de dezembro de 1979: lançamento do foguete Ariane, que se torna o primeiro foguete espacial europeu.

- 12 de abril de 1981: os Estados Unidos lançam seu primeiro ônibus espacial, Columbia.

- 28 de janeiro de 1986: sete astronautas morrem na explosão do ônibus espacial americano Challenger, pouco mais de um minuto depois do lançamento. Os vôos ficam suspensos até 1988.

- 19 de fevereiro de 1986: lançamento da estação espacial soviética de terceira geração MIR. A estação funcionou até março de 2001.

- 25 de abril de 1990: o telescópio espacial Hubble é posto em órbita.

- 2 de novembro de 2000: dois russos e um americano se tornam os primeiros tripulantes da estação espacial internacional ISS.

- 1º de fevereiro de 2003: o ônibus espacial Columbia explode durante a reentrada sobre o estado do Texas. Os sete tripulantes a bordo (seis americanos e um israelense) morrem.

- 27 de setembro de 2003: um foguete europeu Ariane lança a sonda Smart-1, que chegaria à Lua 13 meses depois no primeiro vôo interplanetário bem sucedido usando a revolucionária propulsão iônica.

- 16 de outubro de 2003: a China se torna o terceiro país a fazer um vôo espacial tripulado, com o "taikonauta" (astronauta em chinês) Yang Liwei em sua nave Shenzu V.

- 3 de janeiro de 2004: a sonda americana Spirit, que contém um robô explorador, pousa com sucesso no planeta Marte.

- 14 de janeiro de 2005: a sonda européia Huygens pousa em Titã, lua de Saturno localizado a 1,5 bilhão de quilômetros da Terra.

- 4 de julho de 2005: um projétil enviado pela sonda americana Impacto Profundo (Deep Impact) colide com o cometa Tempel 1, a 133 milhões de quilômetros da Terra.

- 19 de setembro 2005: a Nasa revela seus planos de enviar uma missão tripulada para a Lua em 2018.

- 21 setembro 2006: missão do foguete americano Atlantis para continuar com a construção da ISS, interrompida desde 2002.

- 19 de janeiro de 2006: a Nasa envia a sonda New Horizons a Plutão, o último planeta inexplorado.

- 14 setembro 2007: Japão lança um foguete com uma sonda de observação para a Lua.

- 25 de maio de 2008: A sonda americana Phoenix pousa no polo norte de Marte.

Fonte:Site Terra

Messenger fará 2º sobrevôo em Mercúrio na 2ª feira


A sonda espacial Messenger se aproximará pela segunda vez neste ano da superfície do planeta Mercúrio, informa a Nasa, a agência espacial americana. No dia 6 de outubro, a nave sobrevoará o solo a uma distância de aproximadamente 200 km, ganhando uma assistência gravitacional que lhe ajudará a se aproximar cada vez mais do planeta.
Com a manobra, a Messenger poderá manter o rumo para sobrevoar Mercúrio uma última vez, no próximo ano, antes de se tornar a primeira nave a orbitar o planeta mais próximo do Sol. O feito deve acontecer somente em 2011.

Na nova aproximação, a câmera de alta definição da sonda tirará mais de 1,2 mil fotos de 30% da superfície de Mercúrio, uma região que jamais havia sido vista por uma nave. Em janeiro, a Messenger observou apenas 20% do solo, além de fazer medições do campo magnético, exosfera, cauda de sódio, coloração e composição da superfície, e o campo gravitacional.

De acordo com Sean Solomon, principal pesquisador da missão, a região que será observada pela primeira vez tem uma área maior que a América do Sul. "A única previsão segura que podemos fazer agora é de que teremos novos descobrimentos", afirmou.

Após a primeira visita, os cientistas concluíram que Mercúrio se parece muito menos com a Lua do que se havia previsto inicialmente, já que ele possui características próprias e únicas. Segundo eles, a enigmática magnetosfera do planeta parece ser bem diferente do que a Mariner 10 havia descoberto na primeira viagem, quase 34 anos atrás. Naquela data, a Nasa havia sobrevoado apenas um hemisfério de Mercúrio.


Fonte:Site Terra

15/08/08

Eclipse parcial da Lua será visto no sábado


Um eclipse parcial da Lua será visível em grande parte do mundo na noite de sábado, dia 16, quando a Terra passar entre o Sol e o satélite.
O fenômeno será visível principalmente na maior parte da África, da Europa Oriental, da Ásia Central, da Índia e do Oriente Médio.

Um eclipse da Lua acontece quando nosso satélite natural passa pelo cone de sombra (ou cone de penumbra) da Terra: o Sol, a Terra e a Lua se encontram nesse momento quase perfeitamente alinhados, o que corresponde à Lua cheia.

A observação a olho nu ou com dispositivos, não precisa de qualquer precaução em particular, ao contrário de um eclipse do Sol, conforme indica o Observatório de Paris.


Fonte:Site Terra